Programa Criança Feliz mantém atendimento por meio de acompanhamento remoto em Curral de Cima

Mesmo mantendo o distanciamento social como recomendam as autoridades em saúde pública, o programa ‘Criança Feliz’ de Curral de Cima está garantindo o atendimento às famílias cadastradas no município por meio de contatos telefônicos e WhatsApp. Através de vídeos, os instrutores explicam e ensinam atividades e por meio de ligações realizam o atendimento dos usuários.

A medida foi tomada pela Secretaria de Assistência Social atendendo recomendação do Ministério da Cidadania que destaca a importância de se manter o programa durante o enfrentamento ao coronavírus. Em Curral de Cima, o ‘Criança Feliz’ atende 200 usuários entre crianças de zero a três anos e gestantes que estão inseridas no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal.

De acordo com a coordenadora do ‘Criança Feliz’ em Curral de Cima, Suellen Fagundes, os atendimentos presenciais e visitas foram suspensos tomando por base decreto municipal. Com isso, a equipe do programa planejou atividades remotas, online, grupos de WhatsApp e contato telefônico, para substituir as visitas e garantir a saúde dos usuários e equipes evitando o contato pessoal.

“O ministério da Cidadania recomendou que fossem realizadas atividades remotas a fim de evitar o contato pessoal, mas que mantivesse os trabalhos, pois eles são essenciais. A equipe tem gravado vídeos, áudios e entrado em contato por telefone com aqueles familiares que possuem esses meios. Mas sabemos que muitos não têm acesso à internet, a telefones e esse é o nosso principal gargalo. Ainda estamos analisando uma forma de como atingir esse público. Precisamos continuar esse acompanhamento, ele é prioridade e fundamental na primeira infância”, destacou Suellen Fagundes.

O programa ‘Criança Feliz’ em Curral de Cima faz por meio de suas equipes o acompanhamento contínuo com orientações importantes e acompanhamento com o objetivo de fortalecer vínculos familiares e estimular o desenvolvimento infantil.

De acordo com a coordenadora do programa, iniciativas como o ‘Criança Feliz’ são capazes de prevenir e identificar atrasos físicos, intelectuais e emocionais e orientar impulsionar o desenvolvimento de habilidades cognitivas, motoras, e psicossocial, através de ações simples.

Suellen explicou ainda que em 2017 o município de Curral de Cima recebeu o programa para atingir 100 usuários, mas a importância do trabalho fez com que o município ampliasse sua meta, atendendo mais 100 usuários. “Ter equipes de referências nas casas de familiares procurando a promoção social quase que semanalmente é gratificante. Algumas dessas famílias não recebiam nenhuma visita, outras não tinham familiares próximos, se sentiam sozinhas, e com a ida da equipe nas suas casas acabaram dando um novo significado a vida”, afirmou.

O programa – O ‘Criança Feliz’, lançado em outubro de 2016, tem como ponto central a visita semanal de técnicos às casas das famílias de baixa renda para acompanhar e estimular o desenvolvimento das crianças até os 3 anos de idade. Com o estímulo correto, o governo espera preparar essa geração para vencer a pobreza. O público-alvo é formado por gestantes e crianças de 0 a 3 anos de idade beneficiárias do Bolsa Família, e até os 6 anos aquelas crianças com algum tipo de deficiência e que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Ainda são acompanhadas as crianças de até 6 anos que estão afastadas do convívio familiar em função de medidas protetivas. Estados e municípios não têm gastos. Os repasses de recursos para a supervisão, capacitação, contratação e remuneração dos visitadores são de responsabilidade do Governo Federal. A adesão é voluntária.

 

COMPARTILHAR