Conselheiros tutelares tomam posse e recebem carro e equipamentos para fortalecer trabalho

Os conselheiros tutelares Ana Elyda, Luiza Marques, Renata Lisboa, Márcio Antonio e Jefferson Lima, além dos suplentes Maria Livramento, Fábio Vitor, Edialdo Benício, Danilo Silva e José Vinício de Morais, foram empossados na noite desta sexta-feira (10) pelo prefeito de Curral de Cima, Totó Ribeiro, durante evento que aconteceu no Ginásio de Esportes da cidade. Na ocasião, os novos integrantes receberam um veículo zero km e cinco computadores para equipar o Conselho Tutelar, itens conquistados com o apoio do deputado federal, Aguinaldo Ribeiro.

O prefeito Totó Ribeiro explicou que o novo veículo foi entregue para auxiliar nas visitas e ocorrências, garantindo mais agilidade nos deslocamentos. “Esse é mais uma conquista da população de Curral de Cima que terá um Conselho Tutelar preparado para atender as demandas e trabalhar em defesa das nossas crianças e adolescentes”, pontuou.

Totó Ribeiro disse ainda que a partir de agora, os conselheiros tem uma missão importante perante a sociedade. “Eles têm a missão representar a sociedade na proteção e na garantia dos direitos de crianças e adolescentes, contra qualquer ação ou omissão do Estado ou dos responsáveis legais, observando sempre os direitos estabelecidos no Estatuto da Criança e do Adolescente”, disse.

Os novos conselheiros terão a missão de atender queixas, reivindicações e solicitações feitas pelas crianças, adolescentes, famílias, comunidades e cidadãos; exercer as funções de escutar, orientar, aconselhar, encaminhar e acompanhar os casos; aplicar as medidas protetivas pertinentes a cada caso; fazer requisições de serviços necessários à efetivação do atendimento adequado de cada caso e contribuir para o planejamento e a formulação de políticas e planos municipais de atendimento à criança, ao adolescente e às suas famílias.

Trabalho – Criado em 1990 pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o Conselho recebe pessoas de até 17 anos que tiveram algum direito violado ou que tenham sofrido alguma ameaça. Atualmente, existem mais de 5 mil instalados pelo país, muitos deles com uma série de deficiências para a devida atuação.

 

 

 

COMPARTILHAR